sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Quem sou


Sou alguém sem norte...
quem sabe sem sorte.
Serei eu incompreendida?
Serei eu, alma penada,
ou quem sabe apenas dividida.
Em sonhos, meu incosciente, insano
vejo-me oras viva, oras incandescente...
Sou lânguida, frenética!
Majestosa e infinita.
Sou luz, sonhos, ventos e mares.
Do amor eu fui parida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário