Quem sou


Sou alguém sem norte...
quem sabe sem sorte.
Serei eu incompreendida?
Serei eu, alma penada,
ou quem sabe apenas dividida.
Em sonhos, meu incosciente, insano
vejo-me oras viva, oras incandescente...
Sou lânguida, frenética!
Majestosa e infinita.
Sou luz, sonhos, ventos e mares.
Do amor eu fui parida.

Comentários

Postagens mais visitadas