domingo, 29 de setembro de 2013

Mas se já foram as esperanças...


O que fazer com todas as andanças
Que porventura fizemos juntos?
Ah, se os dias não mais risonhos
Cansados de chorar pelos cantos
Padecem a cada segundo
E agora, o que eu digo à saudade
Quando ela vier te procurar por maldade
Para me fazer chorar?
E das lembranças que invadem o dia-a-dia
Se eu pudesse, juro, esqueceria
Só para não sofrer demais
Diga que o tempo é o melhor amigo
Pois dele farei o meu abrigo
E não sairei de lá
Até tua presença eu sentir...sei
Que então certeza eu terei
Do que é o verdadeiro amar
Deixe um abraço, daqueles, bem apertado
Com um beijo, assim, tão delicado
Para me fazer sorrir
E as amarguras dessa ausência tua
Será passado quando eu vir a lua
Recordando dos teus olhos o luzir

Nenhum comentário:

Postar um comentário