terça-feira, 25 de junho de 2013

Acreditar


Sempre sonhei em encontrar alguém
Alguém que me encontra-se em meio a multidão
Alguém que não me deixa-se na solidão
Alguém assim identica a você
Você que me ensinou o que é sinceridade
Você que me ensinou o que é cumplicidade
Você que me ensinou o que estar companheirismo
Você que me ensinou o amor de verdade
Ensinou que quando se ama não precisam mágicas para estar junto
Ensinou que quando se ama não se faz necessário usar mascaras belas
Ensinou que quando se ama realmente não existem barreiras impossíveis
Enfim me mostrou que amor é amar um ao outro e não amar um momento ou uma ilusão
Com você do meu lado dia após dia vou aprendendo o que é amar
Com você do meu lado eu que vivia falando de amor descobri que pouco sabia o que era amor
Com você do meu lado descobri que amar é muito simples e fácil
Basta praticar o que você me ensina todos os dias que acorda ao meu lado: 
ACREDITAR.

A paixão


A Paixão embriagada
caminhava desmotivada.
Sentia-se enganada
e no Amor não mais confiava.
Cada vez que se declarava
o Amor fingia que não entendia
e a Paixão se consumia.
Ardia em chamas
e nada conseguia.
Fazia versos,
dizia o que sentia
e nada disso adiantava.
A Paixão então ficava a cada dia
mais determinada.
Precisava conquistar o Amor
e estava desesperada.
Seus argumentos eram cheios
de sentimentos.
A Paixão era uma chama ardente,
que se consumia lentamente.
Queimava como brasa
ao mais leve sopro da brisa.
E quanto mais a brisa soprava
mais a chama se propagava.
A Paixão se consumia
de tanto amor que sentia.
Até que um dia,
o Amor se contagiou
com o calor que essa Paixão
por ele sentia.
Era uma noite fria
e o Amor precisava de calor,
para aquecer o seu coração que sofria.
A Paixão então se aproximou do Amor
e o envolveu  docemente.
Falou da sua paixão
e do quanto precisava desse amor
para preencher seus dias.
Amor e Paixão,
a partir desse dia,
viveram tão unidos,
que se tornou impossível
descobrir qual dos dois
habitavam um mesmo coração.

Teu olhar


Teu olhar me fascina, me encanta!
E me enche de esperança.
Teu sorriso encantador...
Despertou em mim o amor!
Teu olhar profundo,
Me levou pra outros mundos!

Namorados


Estamos hoje afastados,
Será que ainda somos namorados?
Quando o tempo está do nosso lado
e a distância nos mantêm ocupados,
só temos o destino
que quer ser nosso cupido,
mas não encontra o termo certo,
nem acerta os ponteiros.
Não podemos fazer um cruzeiro,
muito menos sermos um inteiro.
Ainda temos o nosso segredo,
mas queremos que o mundo inteiro
seja nosso fiel escudeiro.
Amor é tudo o que temos
e desse amor nada escondemos.
Por que será que não podemos
nos encontrar como queremos?

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Ternura


Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentando
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas
nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras
dos véus da alma...
É um sossego, uma unção,
um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta,
muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite
encontrem sem fatalidade
o olhar estático da aurora.

Todo o Sentimento


Preciso não dormir
Até se consumar
O tempo da gente.
Preciso conduzir
Um tempo de te amar,
Te amando devagar e urgentemente.
Pretendo descobrir
No último momento
Um tempo que refaz o que desfez,
Que recolhe todo sentimento
E bota no corpo uma outra vez.
Prometo te querer
Até o amor cair
Doente, doente...
Prefiro, então, partir
A tempo de poder
A gente se desvencilhar da gente.
Depois de te perder,
Te encontro, com certeza,
Talvez num tempo da delicadeza,
Onde não diremos nada;
Nada aconteceu.
Apenas seguirei
Como encantado ao lado teu.