segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Sentei-me nas calçadas por amor inebriado



Já vaguei nos sonhos pelas as ruas
Batendo nas portas brincando de ri
Marcando encontro nas noites escuras
Desejando conquistar o amor e ser feliz.
Já fiz juras de amor que esqueci
Beijei muito sem está apaixonado
Já andei na paixão nela perdi-me
Sentei nas calçadas por amor inebriado.
Andei igual aos galos de briga
Cheio de perfume querendo amar
Cheio de marra sentia-me feliz
Louco de paixão querendo beijar.
Fiz charme fui amante e amado
Deixei lembranças guardei saudades
Dos apertos nos bailes beijos molhados
Da magia e encanto das musas amadas.
Tudo fazia para agradar a alma e amar
Por anseios que nem sei explicar
Fiz e hoje ainda tenho saudades
Da juventude que se foi e não volta mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário