quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Meu paladar



No coração da paixão
Na cor desse vinho, com o seu sabor
De um conto romântico, um gole de amor
A força dessa química, está na raiz desta videira
Não sendo eu poético, lavro este verso
Canto sua beleza, um mosto virgem de sua nobreza
Pisando em tuas cubas, extraindo o seu melhor
Sejas generosa, pois a tenho em minha mesa
Pois as lágrimas são a perda, desta pequena dose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário