terça-feira, 23 de outubro de 2012

Tudo se acabou



Não fui em tua vida 
o que queria ter sido.
Fui apenas algo que passou rapidamente,
sumindo, como nos rastros da estrada, que o vento vai apagando.
Chegou sorrindo, trazendo nos lábios 
uma doce história de amor,
uma alvorada de sonhos sem fim.
Plantou e cultivou no jardim da minha vida
as mais belas rosas da esperança
de viver a felicidade de um grande amor sem fim. 
Em teus braços me sentia como a flutuar pelas nuvens, 
leve como a pluma, ao encontro do paraíso.
Mas chegou uma seca devastadora, e,
todo meu jardim secou, meu sonho, acabou,
teu amor, razão do meu viver, em nada, se transformou.
Tudo se acabou.
Perdida num abismo, agora me encontro,
sem rumo, sem destino,
uma alma perdida vagando em busca de uma luz,
a luz de uma esperança qualquer,
onde eu possa repousar meus sonhos mortos.
O tempo mais e mais vai passando,
nada mais sei de você,
não sei que rumo teus passos seguem,
apenas sei que este grande amor que a ti dediquei,
por outro alguém jamais sentirei,
um outro alguém jamais amarei.
Não consigo do coração te arrancar,
não consigo do pensamento te apagar.
Porque me deixou?
Não acreditou na sinceridade do meu amor?
Será que se deixou levar por vozes falsas
soando em teus ouvidos palavras mentirosas,
ferindo teu peito como facas afiadas?
Nada sei, apenas sinto.,
e tudo que sinto é esta dor infinita
povoando em meu ser,
tornando um abismo todo meu viver.
Tua ausência me maltrata,
tua lembrança não se apaga, e,
e esta imensa saudade, pouco a pouco,
consome um pouco,
do muito pouco que de mim, sem você,
restou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário