Mas, até quando?



Pensei que tinha forças em meu coração,
Para suportar a dor de uma paixão...
Mas não... Sofro e choro, empalideço...
Volto sempre ao começo, onde tudo era apenas ilusão!
Revivo todos os passos do caminho,
De nenhum ao menos eu esqueço,
Sinto ainda a dor de cada tropeço,
A raiva, de cada queda, e para reerguer-me o esforço!
Sempre tão imenso!
Tem horas que até penso; que não amo...
Ou que este amor é mais pequeno do que imenso...
Retrocedo...
Amar não é coisa só de um: Carece de duas almas,
Dois corações, unidos num só sentimento!
Recomeço...
Mas, até quando?

Comentários

Postagens mais visitadas