terça-feira, 23 de outubro de 2012

Amor verdadeiro



Você,
este alguém que tanto amei, com tanta sinceridade,
com todo fervor do coração,
com todas as esperanças deslumbradas de 
um futuro onde o amor seria a base de todas as realizações,
Eu e você, o verdadeiro amor.
Você que tanto amei, que apesar das desilusões e 
desencantamentos de fim de romance, ainda amo,
desesperadamente amo.
Amor verdadeiro, de tantas maneiras espressei, demonstrei,no brilho do olhar, no sorriso mais simples e verdadeiro,na simplicidade de cada palavra soprada pelo coração,nos pequenos gestos e atitudes, mas que muito diziam,em cada abraço, em cada beijo,
em cada toque de carinho, em cada suspiro,
na lágrima derramada de saudade,
no meu ciúmes que as vezes, talvez até incomodasse.
Por você, meu único e verdadeiro amor,
deixei de lado aventuras, desventuras,
deixei de lado meu mundo, para viver o seu,
pois a minha vida encontrava-se no teu mundo.
Tua alegria me trazia alegria também,
ver-te triste, entristecia meu coração,
teu sentir era todo meu sentimento.
Um dia, um adeus.
Minha vida, nem sei no que se transformou,
talvez uma sombra triste vagando do nada para lugar nenhum.
Será que em algum momento,
envolvido em outros braços, que talvez nem saiba oque é amar,recordas que eu existi, que fiz parte do teu mundo,que nos meus braços também sonhou, talvez amou,palavras de amor falou, nos sonhos, comigo voou?
Será que quando sente outros lábios tocando os teus,lembras que os meus eram doces de amor,
de um amor verdadeiro, que nem o tempo, nem o vento,apaga, consome e destrói?
Por que tudo acabou, com a rapidez estonteante de soprar de tempestade?
Por que deixou de viver e sonhar o nosso amor?
Não sei que rumo teu coração guia teus passos, 
mas sei que amei intensamente, perdidamente,
amei tanto que não sei mais os meus próprios rumos,apenas me encontro nas lembranças tuas,
gravadas dentro do meu coração quebrado,
doente de amor ,nestas tristes páginas, que o ingrato destino traçou.
Tanto te amei, tanto te amarei, o verdadeiro amor,
nem mesmo a própria dor destrói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário