quarta-feira, 19 de setembro de 2012

VIRTUAL...



Não conto o meu tempo em minutos
Quando à noitinha me pego a pensar
Que todo o tempo deste mundo é diminuto
Ante tanta felicidade que tenho pra lembrar
Não! Não foi se embora o que era doce
O que foi antes verdadeiro agora é sonho
Aqui fez morada e ficou ainda mais doce
Foram-se embora as invejas e os demônios
Ah se soubessem, minha saudade
O quanto és terna e doce companheira
E que não é pior que a presença sem vontade
És bem melhor e te terei a vida inteira
Terei lembranças na eternidade de um retrato
Caminharei por onde a vida me leva
E enquanto vivo tão feliz meu abstrato
Farei do amor que tive a minha paz e ceva 

Nenhum comentário:

Postar um comentário